Essaouira, o paraíso atlântico

Essaouira, o paraíso atlântico

Banhada pelo oceano atlântico e chicoteado sem remédio por um vento que se tornou sua marca registrada, a cidade de Essaouira Mogador, anos atrás, aparece ante o visitante como um diamante por polir, um lugar tranquilo onde a vida passa devagar e que ainda guarda a essência desse Marrocos de províncias, de pessoas simples com os costumes arraigados no tempo em que o viajante agradece nada mais pisar nesta acolhedora cidade murada.
A menos de 200 km de Marrakech podemos encontrar esta linda cidade costeira cuja medina foi declarada pela UNESCO Patrimônio da Humanidade e cujo sustento foi e é, a pesca tradicional, apesar de que, ultimamente, o turismo em forma de pranchas de surf e investimento estrangeiro está chegando a passos largos. É um lugar tranquilo, longe do stress das grandes cidades marroquinas, ideal para misturar com a população local, desfrutar de sua medina murada ou comprar em seu sedutor mercado sem o ruído e a pressa habituais deste país.
Este importante porto foi fortificada pelos portugueses para a sua defesa, tem sido o berço de célebres piratas, como barba negra e usado para o tráfico de escravos com destino à América. Atualmente é um dos portos de pesca mais importantes do sul do país e pode gabar-se de uma atividade diária frenética que surpreende e encanta o visitante. E chegado o verão, quando as temperaturas extremas sofocan para meio país, Essaouira renasce e alivia a locais e visitantes com as suas temperaturas moderadas graças ao Atlântico, seu inseparável companheiro.
Ao preparar a nossa viagem para Marrakech nos colocamos fazer uma viagem para algum lugar próximo, já que como todos sabem ( e se não o sabeis, eu vos digo), Marraquexe carece de visitas ou monumentos propriamente ditos e com três ou quatro dias lá é o suficiente para o visitante convencional. E quase sem querer, apareceu o nome de Essaouira. Procurando o pouco que há na rede sobre ela me fez ver que eu poderia ser o contraste ideal para uma grande cidade. Uma vez decidido que queríamos visitar, devido à sua proximidade com a Marraquexe (apenas duas horas e meia de carro), nos colocamos como chegar lá. Como chegar em Essaouira
Desde Marrakech há duas opções muito claras para chegar a Essaouira: ônibus ou carro alugado. Para a primeira opção há duas empresas de ônibus ( Supratours e CTM) que partem diariamente do terminal de ônibus de Marraquexe e que leva menos de 3 horas para percorrer a distância entre as duas cidades.
No nosso caso, nós alugamos um carro dois dias a um preço muito bom, que nos serviu para nos dar conta de como se conduz por este país e como gasta a polícia, os controlos de estrada. Ao princípio custou mais de um susto, mas com as horas de um acostumado a perder-se, para que não haja quase sinais de trânsito, para que se lhe cruzen mulas, cães, pessoas, carrinhos de mão, bicicletas, motocicletas, sem luzes… enfim, uma experiência que nos chegou à alma, já que dirigir é uma boa forma de entender uma cultura e um país. Além disso, a gasolina não é muito cara e 400 km, já que usamos cerca de 20 euros. Tenho que advertiros que há muito a polícia rodoviária e controlam a velocidade com radar ( 100 km/hora nas auto-estradas nacionais máxima permitida). Fomos libertos de uma multa ou uma chantagem de puro milagre…

Que fazer em Essaouira
Essaouira é uma cidade de pesca relativamente pequeno, muito tranquilo e não conta com monumentos de interesse ou de grandes visitas em destaque. O seu encanto reside na simplicidade e na cotidianidade de suas gentes, ensimismados em suas tarefas e alheias aos turistas que lá chegam. Passear pelas ruas mal asfaltadas de sua medina, ver o movimento dos comerciantes, farejar seus postos de carnes, frutas e legumes, comprar um pão recém feito em um posto de rua ou sentar em alguma das calmas praças do centro da cidade murada, são sensações que fazem um desfrutar desta pacata cidade.
Medina: Uma muralhas cor de areia rodeiam uma coquete medina cheia de becos, arcos, esculturas, praças e ruas cheias. É o ponto no qual participam todos os vizinhos para comprar, passear, fazer negócios.., e os clientes para nos perder no seu mercado e para fazer compras. Passear de noite por suas ruas é intrigante, mas eu posso garantir que não há nada que temer.

Porto: A atividade do porto de pesca é frenética e é um dos pontos principais que você tem que visitar. Ver baixar o peixe fresco de um barco e seguir com atenção os trabalhos relacionados com a pesca tradicional, me pareceu algo extraordinário e que hoje em dia não se vê com facilidade: desde a colheita de redes ou vender o peixe em um lugar cujo balcão é uma caixa de madeira, para pintar um barco ou limpar o peixe sentado nas rochas enquanto centenas de gaivotas voam em busca de algo que levar ao pico… Me fascinou o movimento e a vida que existe neste porto. E um aviso aos navegantes: abster-se de vir aqui os alérgicos a gatos ou as gaivotas, há centenas!!

Mellah: o bairro judeu da cidade é um lugar que ganha vida quando a maioria dos negócios começam a fechar, apesar de o aspecto de suas ruelas é bastante desolador. Observe a importância que teve este grupo em Essaouira que até 1952 havia na cidade ¡¡32 sinagogas!!.
Skala de la Ville: É o único lugar onde você pode andar por cima das muralhas e onde os moradores se sintam a contemplar as ondas do atlântico. Uma coleção de canhões de metal acompanham o passeio.
Mercados: sem dúvida um dos atrativos de Essaouira, como em todo o Marrocos, é perder-se e comprar em seus souks a grande variedade de produtos que oferecem: óleo de argan, artesanato, especiarias, barracas de comida, pele,tapetes, bijuterias, artigos de madeira de cedro, prata, jóias e tudo que se possa imaginar é vendido aqui. E todo o mundo vêm para comprar carne, peixe, legumes e qualquer produto de que precisa já que é o “mercado de abastos” da cidade. Um bom lugar para passear, próxima de outros mercados onde os vendedores, às vezes, são demasiado pesados e ideal para barganhar e comprar, já que costuma ter preços melhores que em outras grandes cidades de Marrocos.
Praça Moulay Hussein: É a praça principal da cidade e o nexo de união entre a medina e o porto. Irremediavelmente você tem que passar por essa praça para chegar ao porto movimentado e é o lugar ideal para fazer um alto no caminho e tomar um chá-espanhol ( 1 euro) ou um delicioso suco de laranja, vendo a vida passar. Muito vendedor de óculos de sol e músicos de rua enriquecem o centro social da cidade.
O nariz de Orson: ao sudoeste da Medina encontramos esta praça com o nome do diretor de cinema e um curioso busto seu, sem nariz. Nesta cidade foi filmado parte do filme Othello e essa omissão no busto do diretor se deve a que, durante o filme, Orson Welles perdeu seu nariz a ser cultuado em várias ocasiões e rolou várias cenas sem ela. Apesar disso, o filme foi premiado com a Palma de Ouro no festival de Cannes de 1952.
Praia
Uma bela e vasta praia de areia próximo à cidade murada, que nos dá uma ideia de quão bom ele deve estar aqui no verão. Ideal para relaxar, passear ou tomar um banho se os ventos aliseos o permitem, chegamos a ver vários surfistas pegando ondas e ao longe, oferecem passeios de camelo pela areia desta extensa e bela praia. No moderno passeio marítimo podemos ver alguns hotéis de luxo e apartamentos de veraneio, fato que indica que o turismo está tomando muita força nesta pacata aldeia.

Onde dormir
Como em quase todas as cidades de Marrocos, é elegante, dormir em Riads, casas tradicionais localizadas nas medinas, que oferecem todas as comodidades para o visitante. Costumam estar em becos escondidos e não são fáceis de encontrar, tem poucos quartos e oferecem um atendimento personalizado e muita, muita tranquilidade. Nós temos hospedado no Riad Dar Liouba, em um pequeno beco escuro da medina, a cidade fortificada. Parece mentira, vendo os becos por onde caminhamos até dar com ele, que este oásis de tranquilidade possa existir. Um contraste brutal com o exterior faz entender as diferenças abismais que há nesta sociedade: luxo e conforto para o estrangeiro, sacrifício e trabalho para o local….
O confortável e tranquilo Riad Dar Liouba conta com 8 quartos, decorados ao estilo marroquino, inclui o pequeno-almoço, wifi gratuito no lobby, terraço com vista para a medina, muita tranqüilidade e um excelente serviço. De fato, as críticas nas páginas de reservas de hotéis são realmente boas. Por algo será. Se você quiser ver um vídeo do alojamento pode pasaros por meu canal de vídeos do Youtube.
E uma prática que me pareceu curiosa: se alguém chega aqui sem alojamento reservado para dizer que ao entrar na cidade, grupos de jovens, sacudindo as chaves na mão ( acho que de apartamentos ou chalés de aluguel) disputam encontrar algum visitante que contrate o seu alojamento. Uma curiosa técnica de marketing, mas acho que lhes dará resultado…
Onde comer
Essaouira é a cidade do peixe fresco e o marisco. A sua porta chegam diariamente toneladas de peixe fresco que se distribui por uma área e se consome na mesma cidade. A oferta de restaurantes onde comer peixe fresco a um bom preço é bastante vasta, assim como também há locais para bolsos mais amplo. Menção especial são os curiosos postos de peixe do porto, onde um escolhe o produto fresco ( não esqueça de pechinchar) e lá mesmo se cozinham em um piscar de olhos. Passamos por lá e seus amigáveis funcionários nos ofereceram comer em quase todos, prometiéndonos o melhor preço e a melhor qualidade. O que sim está claro é que o peixe está recém-trazido de sua hiperativo porto.
E se você quiser um restaurante fino, elegante e rodeado de um ambiente requintado, você pode visitar e…




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *